Me, you and I

In my absence as "me" – "you" are present as I.

Wei Wu Wei.

Published in: on 20/07/2010 at 2:05  Deixe um Comentário  

Hipnose existencial profunda

 
Como explicar um sonho a quem nunca sonhou? Como explicar o Real a quem nunca esteve acordado e tudo o que conhece, com todas as células do seu corpo, é apenas sonho?

Como mostrar a quem quer que seja a peculiaridade do que sinto? Como se vestisse uma pele que não a minha, mas não conseguisse deixar de o fazer, e sempre que me vejo num espelho ela está lá, a determinar os contornos da minha aparência. Vivo uma mentira que sei nem sequer existir, mas com a qual não consigo deixar de sonhar. Vivo encarcerado numa prisão que apenas imagino.

Sou como o homem que flutua num oceano sem fim, um oceano de paz e luminosidade, mas que, dormitando no calmo balançar das ondas, sofre imerso num profundo pesadelo. Um único fragmento de ilusão em todo o Real, um único centímetro cúbico de dor neste vasto oceano, e nele reside o meu mundo inteiro.

De que modo rasgar este equívoco absurdo e impensável? Como poderei ser apenas o que é? No limiar entre dois mundos antagónicos, não me consigo despregar da ombreira, não consigo saltar a cerca, voar da janela, pular o muro. Nem me esqueço do que sei, nem me esqueço do que imagino. Não sou plenamente o que sou, nem o que penso ser. Sou absolutamente estrangeiro nas duas pátrias que tenho.

Vivo como que de olhos mergulhados na escuridão, mas com uma sensação de luz cristalina a explodir na cabeça, mesmo por detrás dos olhos, claridade tão intimamente próxima que como tal não pode ser vista e assim se perde por entre sombras sempre mais tangíveis. O Real está no ponto mais próximo que poderia estar sem ser visto.

Imagino ser o que não sou e, simultaneamente, não ser o que sou. Um caso de sonambulismo gritante, hipnose existencial profunda, em que o Real é substituído por uma sugestão colectiva paralisante. Como despertar de semelhante sonho, quando tudo e todos estão submersos nele?

 
Dré
 
Published in: on 10/07/2010 at 5:00  Deixe um Comentário