Polícia


Ser polícia é ter a pior profissão da nação
É ter uma venda nos olhos e uma arma na mão
É incondicionalmente vestir um sistema
Que não conhece justiça, igualdade ou pena
É ter como princípios os valores dos cifrões
É jogar vidas fora como se fossem feijões

Dré




Violência policial na celebração da zona pedonal de Almada


"Ontem, 16 de Janeiro, decorreu uma celebração na praça do MFA, no centro
da zona pedonal de Almada, cujo objectivo era reclamar a zona pedonal para
os peões (visto que ela é todos os dias atravessada por centenas de
carros, autocarros, táxis, tornando-a, talvez, na "zona pedonal" menos
pedonal do mundo...). Uma iniciativa pacífica, de festa e celebração, com
jogos com crianças, lanche, distribuição de informação, música e sobretudo
muita festa.

Por volta das 18h, a banda Ritmos de Resistência estava já a tocar há
algum tempo, andando pela zona pedonal, incomodando (assim como os carros
incomodam as pessoas numa zona pedonal) mas não bloqueando o trânsito. Um
grupo de polícias veio a correr em nossa direcção, empurrando
violentamente várias pessoas da banda. Agarraram então uma rapariga que
estava com a sua filha bebé ao colo e empurraram-na bruscamente da frente
de um carro. Um dos polícias ameaçou a rapariga dizendo-lhe "se não sais
do meio da rua, bato no teu bebé".

Logo imediatamente a polícia reparou que havia uma pessoa com uma máquina
de filmar perto da rapariga (pessoa que tinha estado a filmar toda a
iniciativa desde o início da tarde) e foi-lhe tentar apreender a máquina,
ao que essa pessoa, pacificamente, se recusou pois não estava a perceber
para que os agentes queriam o filme. Perante isto pediram-lhe a
identificação ao que ele respondeu que o faria apenas depois de o polícia
também se identificar. A partir daí a actuação da polícia tornou-se mais
violenta. Respostas como "eu dou-te a minha identificação, o caralho", "se
me continuas a pedir a identificação levo-te detido" foram ouvidas da boca
de quase todos os agentes envolvidos. Várias pessoas foram mandadas ao
chão e a pessoa que estavam a tentar identificar foi imobilizada por 4 ou
5 agentes de uma forma completamente desproporcionada pois em momento
algum teve alguma atitude agressiva. Uma senhora que estava a tirar fotos
da agressão foi então agredida por um polícia que lhe tentou tirar a
máquina fotográfica, mandando-a ao chão, e que quase lhe partiu um dedo.

Outra pessoa, ao aproximar-se da situação, foi socada na barriga por um
agente. Ao mostrar a sua indignação foi ameaçado fisicamente: “dei-te uma
e volto-te a dar, filho da puta”. Ao que levou outro murro e o agente
ainda acrescentou “se eu não estivesse fardado já te tinha fodido todo”.
Essa pessoa caiu então por cima da que estava a ser detida e o grupo de
polícias começou a dar bastonadas de uma forma extremamente violenta na
pessoa que tinha caído e que não se conseguia levantar. Nesta confusão
outro jovem aproximou-se e levou uma bastonada na cabeça, ficando a jorrar
sangue. Uma senhora que se encontrava a ver, indignada, toda esta situação
inaceitável (juntamente com muitas outras pessoas que entretanto se tinham
juntado) foi também empurrada por um agente e caiu ao chão, tendo batido
com a cabeça. Um agente à paisana que entretanto tinha tirado o distintivo
aproximou-se de algumas pessoas da banda e disse para um dos seus
elementos “eu sou psp, voltas-te a meter com os meus colegas e eu faço-te
a folha, filho da puta”.

Já na esquadra as agressões continuaram quando as pessoas tentaram saber
das pessoas que tinham sido detidas (inclusive ao advogado). E só aí, e
com a presença do advogado, é que foi possível obter a identificação de
alguns dos agentes envolvidos. O balanço desta festa/celebração foi: muita
animação, convívio e festa mais três feridos e dois detidos.

Consideramos toda a acção da polícia completamente desproporcionada e
desnecessariamente violenta. Foi chocante o clima de impunidade em que
vive a polícia. Quando se informaram os agentes de que seria apresentada
queixa contra o seu comportamento as respostas foram risos e gozo. Era uma
festa, a população de Almada estava a gostar, recebemos muitas palavras de
incentivo, estava tudo a correr bem. Pelo contrário, a polícia recebeu a
indignação geral da população.

Para lutar contra a violência policial e para continuar a exigir uma
verdadeira zona pedonal no centro de Almada, no próximo dia 24 de Janeiro,
às 16h, lá estaremos, de novo, a defender um espaço que deve ser de todos
os cidadãos..."


Published in: on 18/01/2009 at 22:06  Comments (1)  

Testamento



À minha mãe, eu deixo um quarto mais arrumado,
meias limpas e um lugar vazio à mesa.
Ao meu avô eu deixo o nosso clube com menos um adepto,
e ao meu pai, menos uma chance de vir a ser avô.
Ao meu irmão eu deixo um abraço, para quando ele se formar
e for o médico que eu não consegui ser.
À minha irmã eu deixo um diário com algumas páginas em branco.
Aos meus inimigos, eu deixo a oportunidade
de me terem conhecido melhor.
Ao meus amigos eu deixo menos um amigo.
À minha namorada, eu deixo um pedido de desculpas.
E a si, eu deixo um conselho: use preservativo.

Published in: on 16/01/2009 at 2:13  Comments (2)  

grande… …pequenas

q u a n d o   o   s e n t i m e n t o   é   g r a n d e

                                            a s   p a l a v r a s   t o r n a m – s e   p e q u e n a s

Dré

Published in: on 15/01/2009 at 8:12  Comments (2)  

Só o Amor é real



O Amor

não se rege
pelas leis do Homem
mas sim
pelas leis de Deus

Estranhamente
Deus apenas impôs
uma condição legal:
tudo é possível
mas só o Amor
será real

Julgá-lo

e tentar compreendê-lo
com olhos
que não os do coração
é como querer segurar
o vasto oceano
na pequena palma
da tua mão


Dré

Published in: on 15/01/2009 at 8:05  Deixe um Comentário  

Sentir como deuses



Felizes os que olham o mundo através das lentes do Amor

Pois compreendem que tudo é perfeito

Acedem à verdadeira porta para Deus



O Amor é o único sentimento que nos faz ser humanos, mas sentir como deuses.

Dré


Published in: on 15/01/2009 at 7:57  Deixe um Comentário  

A dimensão do ser humano


O valor de um ser humano mede-se menos pela dimensão do seu intelecto

do que pela grandeza do seu coração

Os verdadeiros tesouros da existência não se alcançam através do primeiro
mas incontornavelmente através do segundo

Dré

Published in: on 15/01/2009 at 7:44  Deixe um Comentário  

No trono da Existência



O Amor é o único campo de batalha da Vida
Apenas nele se pode ganhar ou perder
apenas nele há vencedores
e vencidos
O Amor é a essência da Vida
tudo o resto é sombra
miragem ou
quimera
Se falhas o Amor
falhaste o propósito da Vida
Se o concretizaste
esquece tudo o resto
pois já estás sentado
no trono da Existência

Dré

Published in: on 15/01/2009 at 7:39  Deixe um Comentário  

Realidade


A percepção da realidade

não é



a realidade.



Dré

Published in: on 15/01/2009 at 7:31  Deixe um Comentário  

Tiro certeiro


Para o aprendiz de tiro com arco, mesmo as flechas que falham o alvo são tiros certeiros. – Dré

Published in: on 15/01/2009 at 7:13  Deixe um Comentário  

Voar

Quem sonha – voa alto

Quem não sonha – perdeu as asas

Dré

Published in: on 15/01/2009 at 7:02  Deixe um Comentário  

Baloiça


Baloiça na vida

Que a vida baloiça em ti também

Dré

Published in: on 15/01/2009 at 6:57  Deixe um Comentário  

..à espera



não existem p a l a v r a s no coração,
não existem ideias
propósitos
nem sonhos
não e x i s t em medos
amor
ou crenças
ele bate vazio
à  e s p e r a q u e o e n c h a s d e t i

dr é
Published in: on 15/01/2009 at 6:39  Deixe um Comentário  

Foi o Homem


A p a z
n u n c a a b a n d o n o u
o c o r a ç ã o d o H o m e m

F o i o H o m e m
q u e a b a n d o n o u
o s e u p r ó p r i o c o r a ç ã o

D r é

Published in: on 15/01/2009 at 6:27  Deixe um Comentário  

São só palavras?

Palavras apontam em vão
Se dizes que só palavras são
É porque olhas para elas
E perdes-te onde elas não estão

Palavras pintam um longínquo chão
Entre traços escrevinhados em vão
Tropeças nas letras e perdes-te
dos céus mais profundos que elas te dão

Dré

"O sábio aponta para a lua e o tolo olha para o dedo"

Published in: on 15/01/2009 at 4:21  Deixe um Comentário  

Debaixo de uma ponte ergo um palácio

Prefiro morrer de fome no estômago
do que de vazio no coração.
A minha alma é rainha
que não subservirá
as tiranias de um corpo vão.
Viverei debaixo de uma ponte,
mas terei erguido um palácio
na palma da minha mão.

Dré

Published in: on 15/01/2009 at 3:36  Comments (1)  

Eulogy to TOOL

Parental
Advisory

Extraordinary
Musical Experience with TOOL



      Attention
all personal! The music you are about to listen may take you into
states of heightened or altered consciousness. You may or may not be
ready for such an overwhelmingly journey, such a trip that one could
call it a life
changing
experience.

     
I am quite aware that you may
come from a somewhat different artistic background, meaning that,
unlikely other specimen, your musical preferences may go further than
the usual ‘fastmusic’, the junk pop culture, the easy-listener
products that so often finds itself depleted of all sense of art,
soul and truthful expression of emotions, life experiences and even
spiritual insight.

     Nonetheless, even with such
a deep and highly cultivated taste in music, I sense a slight
tickling within my stomach, letting me know that even a brilliant
mind like yourself may not realize completely and thoroughly the
profound and nearly mystical essence of a band like TOOL.

     
It takes consistent effort,
dedication and a deep seated intuition to truly understand what such
a kind of music is about. The depth of the songs, unfolding almost
infinitely beneath your dumbfounded ears, going ever deeper in a
spiral of emotions and energy, will dredge from within you higher
levels of consciousness that will eventually take you beyond the
limits of your own body and mind – if you allow the proccess to
develop up to its ultimate point.

     
Needless to say, the full
extension of this experience can only be achieved when the individual
puts himself in a state of openmindedness
and emotional clarity! Whereas the most amazing minds on the planet
would rejoice with the oportunity of diving in such a musical
journey, the big majority of the individuals, with a mindset tainted
by repetitive and selfconsuming
cognitive proccesses, will with the greatest of ease ignore or even
laugh over the art that they were blessed with the oportunity to
listen to.

     
With this in mind, I leave
up to you the unfoldind of all this. It may happen that you have not
the capacity – in the moment or at all – to comprehend the
magnificent splendor of the music offered you. On the other hand, I
sincerely believe that you may be one of the rare persons being
capable of perceiving spiritual essence in worldly manifestations,
capable of embracing a sense of divinity even if sprouting from human
endeavours.

     
In short, you may be one of
the few who will actualy experience a leap into a different dimension
of your True Self, where space and time no longer rule, where the
unity of all Life makes itself clearly manifest in and through you.

     
With nothing left to say, I
wish you Godspeed! Farewell and goodbye.

     
Most respectfully,

     Dré
 

Published in: on 14/01/2009 at 4:12  Deixe um Comentário  

E tudo seja escuro e solidão



Jovem mulher

Encostada às paredes da carruagem
Encolhida
Olhas para baixo
E tens medo que o mundo te engula

Levantas a cabeça
E arregalas a expressão do olhar
Receias que a tua dor
Engula ela o mundo agora
E tudo seja escuro e solidão

Dré

Published in: on 06/01/2009 at 20:51  Comments (3)  

A saudade

a saudade
não é a lembrança
do que partiu
ou morreu
é a presença
do que nunca deixou
de ser eu

a saudade
da vida
que não pára
de existir
é ilusão
que sem chegar
parece partir

o sentimento
real
não morrerá
se nasceu
o que perece
é a ilusão
que no mar se fez céu

Dré

Published in: on 04/01/2009 at 6:26  Comments (3)