Revolução?

 
Revolução, seguida de restruturação, seguida de acomodação, seguida de submissão.
 
Was there any revolution to start with?

 
 
 
          Twelve voices were shouting in anger, and they were all alike.
          No question, now, what had happened to the faces of the pigs.
          The creatures outside looked from pig to man, and from man to pig, and from pig to man again;
          but already it was impossible to say which was which.
 
          – George Orwell, Animal Farm
 
 
Aconselha-se a leitura deste livro, bem como de 1984 do mesmo autor. Para quem julga que existe mais progresso ou liberdade agora do que na Idade Média, a também denominada de Idade das Trevas.
 
Os valores fundamentais da humanidade – liberdade, paz, fraternidade ou igualdade – não passam de farrapos de sonhos esquecidos dentro de livros que foram abandonados em bibliotecas vazias, bibliotecas essas plantadas dentro de complexos urbanos erguidos nos altares dos novos deuses da humanidade: orgulho, conforto e luxo.
 
O sonho de uma humanidade livre da escravatura e da opressão, da pobreza e da injustiça, continua, mais do que alguma vez no passado, por realizar. Mudaram os senhores, mas não mudaram os servos. Mudaram as estruturas, mas não mudaram os estruturados. Mudaram os opressores e os meios de opressão, mas não mudaram os oprimidos e a sua incapacidade de ver a opressão a que estão sujeitos.
 
Nenhuma revolução surge espontaneamente; nenhum regime tomba voluntariamente. Apenas a apatia surge por acordo tácito dos povos, apenas os escravos perpetuam a sua condição submissa de livre vontade.
 
We know through painful experience that freedom is never voluntarily given by the oppressor; it must be demanded by the oppressed. (M. Luther King Jr.)
 
Até quando vamos esperar para exigirmos aquilo que é nosso por direito próprio, aquilo que faz inerentemente parte de nós desde o nascimento – a liberdade?
 
Dré
 

Published in: on 27/11/2007 at 16:38  Deixe um Comentário