Diarios de Sogenji – XVI (26 de Abril a 26 de Maio)

 
2007, Abril 26
     Hoje pedi o computador emprestado ao R___ para ouvir um pouco de Damien Rice – ja que o F___ e o respectivo Ipod foram embora ha precisamente 1 mes. Levei tambem as baquetas comigo para dar uns toques. Xii, que loucura, que saudades. “Toquei” Sting, toquei Santana, toquei D.A.D. (claro!), Queen, Incubus. Que espectaculo. D.A.D. entao foi o climax. Ja suava e ja estava praticamente em tronco nu a vibrar com 2 baquetas e um par de auscultadores. Que saudades da minha “menina”…
     Para compensar, depois tive 3 horas do pior Zazen da minha vida.
 
2007, Abril 28
     Sanzen da noite: “Watch! Watch! Watch… your Tanden, everywhere, everytime!” Mais explicito e concreto que isto nem com 1 desenho, pois ele acompanhou os “watch” com os movimentos da sua mao em direccao ao seu Tanden.
     E vou mesmo ter que observar o meu Tanden. Hoje chegou a N___, uma inglesa linda de morrer…
 
2007, Maio 1
    Ha dias o Roshi disse: “Neste momento, a tua pratica esta no seu momento mais importante. Se relaxares, tudo se perde. Nao tires os teus olhos do teu interior”.
 
2007, Maio 4
     Hoje o Sanzen foi estranho, mas no bom sentido. Nunca tinha visto o Roshi assim. Falou com muita docura, parecia uma mae (nao um pai) a falar suave para o filho. E falou imenso; foi um dos Sanzens mais longos – precisamente numa altura em que a minha pratica descambou novamente (…).
      Entre outras coisas, disse que eu era muito honesto, mas que parecia estar sem confianca; a confianca nao e do ego. Ego e acreditar num “eu” e compara-lo com os outros. A confianca e a energia da vida, que quer expressar-se em mim, mas eu nao estou a permitir.  Disse que ve em mim a vontade de gritar de alegria, mas eu coloco uma tampa nessa energia. Falou em como as criancas expressam tao bem essa energia, com tanta vivacidade e espontaneidade. Referiu que eu nao sou o unico assim, que dezenas de alunos “sofrem” deste mal. Ele ve em mim essa fonte de energia – essa (qualidade de) mente – e que, por isso, teve que me dizer isto.
     Hoje fui tambem Shuya – e liderei (somos 2), o que e pouco comum. Na altura de dizer ao Roshi que tinha acabado e que estava tudo bem (em japones), meti os pes pelas maos. Tinha que dizer: “Onegaitashimasu, shuya wa owari mashita.  Ijo ga arimasen deshita. Oya sumi nasai mase”. Na 3Ş frase espetei-me ao comprido (nao tinha a minha cabula), mas do outro lado da porta ouvi o Roshi a rir-se. E assim a vida.
     Nos entretantos, tenho passado as “passas do Algarve” (…). Resultado: tenho tido alguns ataques de “mau humor” (to say the very least…) e decidi atacar o corpo – como forma de tambem fragilizar esta mente desgracada. Comecei a fazer jejum e ontem a noite tentei manter-me acordado toda a noite – queria ver se com tanto sono e tanta fome a minha cabecinha ainda tinha tempo para pensar (…). Dei um passeio nocturno pela serra (bastante medo a mistura, mas nao recuei), soltei 2 gritos descomunais que ecoaram pela floresta e acabei por adormecer num banco num jardim a meio caminho de Okayama. Quando acordei, so queria era xonar mais, por isso, a passo acelerado, regressei aos lencois – ainda dormi 4 horas. Hoje acabei com o jejum – durou 1 dia (ou um dia e meio). Mas valeu a pena.
 
2007, Maio 5
     Parabens, L___. Que tenhas um dia muito amoroso! =) Como vai a tua pequena M___? Se calhar ja nao e assim tao pequena!
     Hoje no Sanzen: “Nao permitas quebras na tua respiracao. Respiracao em cima de respiracao. Fa-lo com o Tanden. De forma alguma pode isto ser feito com a cabeca. Se assim fosse, todas as pessoas a ler nas bibliotecas atingiriam a iluminacao”. Terminou com um sorriso. E o maior este Roshi. Espectacular!
 
2007, Maio 8
      Hoje recebi um postal lindissimo. Um postal do “Principezinho” que diz, em frances, algo como “tens que procurar com o coracao”.  O “Principezinho” esta no topo de uma montanha de gelo, mirando o horizonte. Obrigado, meu anjinho careca! Es um anjo lindo!
     (…)
 
2007, Maio 9
     Hoje foi a loucura… ia em busca de uma loja de postais quando dei de caras com uma loja de instrumentos – onde ja tinha entrado com o Ab___. Lembro-me, na altura, de ele ter dito que tinha experimentado alguns instrumentos. E nao e que encontrei o que ja ha tanto procurava? Uma bateria electronica! Ligada, com auscultadores e baquetas a jeito, num cantinho bem discreto. Resultado? Uma hora a partir a loica toda! Que espectaculo. Ja me doia o rabo! Uma qualidade de som brutal, uma serie de efeitos e musicas disponiveis e so cerca de 1000 euros. Senti-me tentado a negociar com os papas uma prenda para os anos!
 
2007, Maio 12
     Primeiro dia de Osesshin. Parabens, M___!! Espero que tenhas tido um dia muito bonito e feliz.
 
2007, Maio 14
     Hoje fui Tenzo. Depois do almoco terminar, o Roshi veio ter comigo e com a minha ajudante e perguntou “Qem fez o arroz?”. Eu la disse, um pouco a medo, “Eu fiz”. Ele acrescentou “Perfeito!” Eu respondi “Sorte, sorte de principiante”.
 
2007, Maio 15
     Parabens, S___!! A loirinha mais giraca da tuga. Tiveste um dia feliz? Claro que sim.
     Hoje tive o Sanzen mais “divertido” e bem disposto destes quase 7 meses. Eu “cheguei-me a frente” e disse: “Posso fazer uma pergunta?” O Roshi fez uma cara como quem diz “Eh la, o homem tem uma pergunta”. Eu disse “Estou quase sempre encurralado na minha cabeca. Eu gosto de pensar, estou viciado nos pensamentos. Se eu nao cortar esta adicao, nao consigo cortar os pensamentos. Como cortar com a adicao?” A expressao dele mudou automaticamente: passou do rosto concentrado e quase mistico de quem aparentemente esta em profunda meditacao para uma expressao divertida e risonha. Esteve sempre a sorrir e mesmo a rir durante todo o Sanzen. Entre outras coisas, disse: “E verdade, estas muito preso na tua cabeca. Consigo ver isso quando estas sentado (durante o Zazen). Mas essas coisas nao nasceram contigo. Foste tu que as foste apanhando pelo caminho. Se calhar gostas dessas coisas, o que torna tudo muito engracado. E como apaixonares-te pelo teu proprio reflexo no espelho. E como um paradoxo e tu es o teu proprio paradoxo.  Mas nao te preocupes, a pouco e pouco vais ganhando forca na tua pratica, eu consigo ver isso. Tu tornaste o pensar compulsivo num padrao condicionado. Podes fazer do “nao-pensar” tambem um padrao, substituindo o anterior. Tens que saber que o teu centro nao e na cabeca, mas sim no Tanden. Quando a trabalhar tens que levantar uma pedra, fa-lo com o Tanden, nao com as tuas ideias. E muito melhor”, disse, gesticulando comicamente para exemplificar o levantar e pousar de uma pedra. Foi mesmo muito engracado este Sanzen. Nao pude deixar de rir com a afectividade divertida do Roshi. Es mesmo um querido! =)
 
2007, Maio 16
      Sanzen: “Tens de morrer em cada respiracao. Assim, renasces tambem a cada respiracao. Susokkan is a practice of dying”.
 
2007, Maio 17
      R___, hoje e o teu dia!! Ja ha tanto tempo que nao nos vemos. Ja nem me deves conhecer! Anyway, espero que tenhas um dia amorosinho e cheio de docinhos e coisas boas!
     Sanzen da tarde, sem traducao, onde o Roshi resumiu a essencia do Zen (so para mim, olhos nos olhos): “You are living right here, right now… only!”
 
2007, Maio 18
      Sanzen da tarde, com o Roshi a fazer uso do seu melhor ingles!=)  “Are you full (of energy)? From the top of your head, down to the bottom of your foot…”. Expirou profundamente. “No ideas, no body, just breathing. And you will find the truth”. Ia ja a caminho de me ir embora quando ele acrescentou “Don’t look at your shadow!”
      Nao sei com que intencao e que o Roshi utiliza este termo, pois fa-lo varias vezes, mas e um conceito que ouvi pela primeira vez na Plum Village, pelas palavras de um americano que me estava a falar do Ken Wilber – um dos filosofos mais aclamados do nosso tempo (e um individuo supostamente iluminado, por acaso). Curiosamente, esse americano (o D___) e um grande fa de Tool, Tool esses que tem precisamente uma musica que fala deste mesmo conceito: “46 & 2”. Uma das musicas instrumental e liricamente mais poderosas da banda, que creio referir-se a uma busca, batalha, evolucao e consequente revolucao espiritual.
 
2007, Maio 19
     Mais um dia livre; mais um pouco de internet. Um mail (…). Mais um prego espetado fundo no coracao, mais uma oportunidade para aprender a amar incondicionalmente… A vida tem sido mesmo generosa nesse aspecto nestes ultimos 7 meses.
 
2007, Maio 20
     (…) palavras (que) nao me saem da cabeca, esmagam, espetam-se no meu coracao, cospem-me na alma, fazem lagrimas descer pelo meu rosto… Acho que me encontrei na alma de uma mulher e o sabor amarga os labios.
     (…) Vida ironica, e o filha da puta do ego sempre a cravar as suas garras…
 
2007, Maio 21
     Parabens, maninho!! Vinte e nove aninhos, ein? Estas aqui, estas nos 30! Espero que tenhas um dia cheio de revolucao, mudanca de atitudes e clareza de espirito! Um abraco saudoso, aqui do teu bro.
     Hoje tive mais uma prova de como o ambiente externo nao afecta necessariamente o “clima interno”. Sai do Kohojo (a sala de espera do Sanzen) e dirigi-me para o Zendo. Seis e um quarto da manha, um silencio profundo, o sol a romper por entre os ramos das arvores, os passaros a chilrear suavemente, a imponencia do Hondo a erguer-se por entre o verde da floresta, um corvo pousado num telhado para de seguida voar por entre os pinheiros japoneses…  Porem, no meu coracao nem um vislumbre de paz, nem uma pegada de alegria… Apenas a mais pura melancolia, nostalgia e a eterna fraqueza de espirito.
 
2007, Maio 22
     Com 9 dias de atraso, aqui vao os parabens para o menino G___, o melhor guitarrista da tuga, e para o menino P___, que deve ter completado o seu terceiro aniversario! Muitos parabens aos meninos e perdoem o atraso!
      Hoje fui telefonar a mama e ao papaa cabine telefonica em frente ao portao de Sogenji. No caminho cruzei-me com um homem negro que se dirigia para a sua carrinha. Achei curioso, pois foi o primeiro negro que vi no Japao. Entrei na cabine telefonica, mas, a uma distancia de 10 metros, ouvi o homem a cantar algo muito descontraidamente.  Achei piada, principalmente porque cantava muito bem. Abri a porta da cabine para ouvir melhor e depois gritei-lhe de longe, “Falas ingles?”. Ele fez uma pausa e disse, “Acho que sim”. Cantas muito bem”, disse eu. Ele riu-se e disse que estava a cantar uma musica Reggae. Aproximamo-nos e cumprimentamo-nos. Chama-se M___, nasceu na Nigeria, mas vivia nos EUA antes de ter vindo para o Japao ha 12 anos atras. Em 5 minutos de conversa muito animada falamos de futebol, musica, religiao e aulas de ingles (que e o que ele faz no Japao). Gostei mesmo do espirito do homem. Aquela alma negra, cheia de vida e inspiracao – a mesma alma que respira no Jazz, no Reagge e no Gospel.
 
2007, Maio 23
     (…) Sei que quando sai de Portugal estava desesperado por respostas para as minhas duvidas espirituais. Estava verdadeiramente necessitado de esclarecimento espiritual. Agora, 7 meses mais tarde, vejo que nao estou preparado. Vejo que sou imaturo, sou um miudo num caminho de homens maduros. O Zen e para homens (e mulheres), nao para criancas – como eu. (…)
     (…)
     Hoje foi tambem dia de Takuhatsu (Omotecho). Houve uma altura em que paramos todos a espera do sinal verde para atravessarmos a rua.  Eu estava na “fila” da frente e senti alguem atras de mim, mas estranhamente proximo – mesmo colado.  Fiquei curioso, mas nao olhei para tras. Depois essa pessoa deu um toque com o seu chapeu no meu – os chapeus estilo “tigela invertida”. Pensei: “Deve ser o R___, o meu melhor amigo agora em Sogenji, a meter-se comigo”. Olhei para tras e vi o Roshi a sorrir. Afastei-me para o lado, como que a dar-lhe passagem, e disse, “Dozo” – palavra japonesa para “forca” ou “a vontade” (em ingles seria “help yourself” ou algo do estilo). Ele riu-se e empurrou-me com a mao, como quem diz, “tu vais a frente”. Estava a brincar comigo, o menino Roshi. =)
 
2007, Maio 26
     Neste preciso momento uma das minhas bandas preferidas deve estar ja a tocar no Pavilhao Atlantico – Dave Matthews Band. Eu vou agora pegar na vassoura e varrer as passadeiras de Sogenji. Digam la que nao sou um gajo com sorte… Ao menos vou a trautear a #41…
     Mas mais importante que isso sao os aninhos da minha maezinha mais linda (se bem que seja a unica que eu tenho!). Que tenhas um dia sereno e cheio de alegria – mereces isso mais que ninguem! Adoro-te imenso, meu amorzinho. Obrigado por todo o teu esforco continuo e dedicado. Parabens, bebezinho.
     Obrigado, J___. Ve-se bem que es irma da I___… A mesma alma, o mesmo calor, a mesma ternura e meiguice. Como diria o Sam, the kid, voces “mandam B.I.” – beleza interior. E muita, mesmo. Obrigado pelas tuas palavras gentis e sensatas, pelo teu apoio, pela tua doce compreensao.
 
Dre
Anúncios
Published in: on 28/05/2007 at 5:59  Comments (3)  

Diarios de Sogenji – XV (28 de Marco a 22 de Abril)

 
2007, Marco 28
 
     Hoje tem passado por aqui dezenas de pessoas – tudo por causa de uma cerejeira em flor (viva a Primavera). Hoje de manha estavam cerca de 10 fotografos a arvore – que esta realmente linda. Todos eles com grandes tripes e objectivas bem razoaveis. Eu juntei-me a eles com a minha maquina descartavel de 2,5 euros (420 yenes).
     Desde anteontem que eu e o J___ (o "amigo russo", como lhe chamei ha alguns meses atras) andamos de "turras as avessas". Ele ficou picado por nao ter sido convidado para a "festa" de despedida do F___ e do J___ e desde ai anda sempre em cima de mim. Cada coisa "errada" que faco e motivo para uma palestra dela. Ele vem quase sempre com falinhas mansas, dando licoes de moral, mas o ego dele tresanda a milhas de distancia. Nao tenho conseguido lidar muito bem com a situacao: embora nao entre em grandes argumentacoes com ele, na minha cabeca ja o desanquei argumentativa e fisicamente de 1001 formas diferentes!
 
2007, Abril 5
 
     Ola, ‘Vozinha!! Parabens! Oitenta e sete aninhos… Ja sao alguns anos de vida, ein? Algumas primas veras. Espero que esteja tudo bem, dentro do possivel. Beijo grande, Vovo!
     Hoje vao embora os 10 cristaos-zen provenientes da Holanda que chegaram dia 1 de Abril. Foi bom te-los ca – precisamente numa altura em que a Sangha esta muito pequena (cerca de 10 ou 12 membros).
     (…)
     Desde ontem e durante 9 dias, temos aqui uma coisa chamada "Kenshukai" – homens e mulheres, recem-contratados por grandes empresas, vem por 1 ou 2 dias conhecer-se melhor no contexto das actividades do mosteiro. Ontem e hoje tivemos uma serie de enfermeiras novinhas – rostos bonitos e sorridentes (nem todos, claro), so faltaram mesmo as fardas para completar o quadro.
     Claro que nem tudo sao rosas e ter entre 20 a 40 pessoas extra aqui no templo aumenta em muito o volume de trabalho.
     Desde meados de Marco que estava mesmo decidido a abandonar Sogenji em Finais de Abril. Entretanto, para  nao tomar nenhuma decisao precipitada, decidi so falar com a C___ sobre isso a partir de 1 de Abril. A vida e ironica e, precisamente a partir de esse dia, deu-me um ataque de alguma indiferenca em relacao ao meu "mundo portugues". Nao que goste de estar aqui, mas passou a ser mais toleravel – em Marco estava a vomitar Sogenji por todos os poros.
     Mas agora sinto-me um bocado esquisito: estou farto de estar aqui, mas ja nao sinto aquela vontade assambarcadora de regressar. Se o fizesse agora, seria uma decisao puramente mental, sem verdadeira conviccao.
 
2007, Abril 8
 
     Parabens, bebe Buda! Hoje e o dia do nascimento do Buda. Ja lhe lancei cha sobre a cabecinha, numa cerimonia no Hondo.
     Chegamos ao dia do meio do Kenshukai – a semana agitada e cheia de trabalho, mas que, por vezes, ate e engracado.
     (…)
 
2007, Abril 14
 
     (…)
 
2007, Abril 16
 
     Primeiro dia de mais 1 Osesshin. Sanzen da tarde (quase que me espalhei na lama): "Mata o teu Eu. Mata o teu Eu completamente com esta respiracao".
 
2007, Abril 19
 
     No Sanzen: "Nada de espacos, senao a tua concentracao esvai-se. Ainda es muito esperto. Tens que te tornar estupido, idiota, tonto. Se queres purificar a tua mente nao podes ser esperto".
 
2007, Abril 21
 
     Neste Osesshin tive o prazer de contar com a presenca do AL___. Porem, hoje e o sexto dia e ele vai embora. Diz que nao esta a aguentar mais – e desta vez acho que vai embora para nao mais regressar. Estou a ver que os tugas nao foram feitos para isto! Curiosamente, ele vai embora no dia em que eu fui o cozinheiro. Sera que a minha paparoca lhe deu a volta ao estomago?=) Acho que nao – ainda por cima fiz uns biscoitos a maneira!
     Acabei de vir do Sanzen da noite. Como sou o Tenzo, fui o primeiro a ir, pelo que nao tive traducao (os "traduzidos" sao sempre os ultimos a ir). Ele falou algumas coisas em japones intercaladas com ingles. "…How do you feel?… Your head pushes the sky – pontou com o Keisaku para cima – your foot pushes the earth – apontou com o Keisaku para o chao. Full – com os bracos alargou-se, mostrando-se cada vez maior. You’re gradually becoming good at everything (at your breathing??, nao percebi o que ele disse). Tomorow (ultimo dia do Osesshin) don’t stop!"
     De facto, embora antes do sesshin comecar nao me sentir nada motivado (oh, meu Deus! Mais um Osesshin!!), a verdade e que logo desde o primeiro dia que tenho vindo a dar o litro (dentro do possivel, claro!). Vou tentar aproveitar amanha (e hoje, e AGORA!!).
     E, mesmo depois do Sanzen, vinha eu a caminho dos meus "aposentos" – a cozinha! -, a C___ chamou-me e, no escuro, sussurrou-me ao ouvido: ("Socorro, estou a apaixonar-me!! E impossivel resistir a tanto charme!" Eu sei, nina, eu sei!Lol.) Agora a serio, disse: "O Al___ disse-te alguma coisa sobre o porque de se ir embora?" A conversa seguiu o seu rumo, mas foi engracado falar com ela, tao sussurantemente, no escuro, tao proximo (para ouvir o que ela dizia tao baixinho). As vezes gostava de me poder dar melhor com a C___, mas regra geral nao sei bem como agir com ela. Tenho a sensacao que ela nao muito com a minha cara, mas outras vezes ate acho que vai… Num sei…
 
2007, Abril 22
 
     Fim de mais um Osesshin (so faltam 35 mil para a iluminacao!) e que vim eu fazer? Abanar o capacete para a Guesthouse – ha mais de um mes que nao ouvia D.A.D.!
     No ultimo Sanzen do Osesshin: Levantou a mao ao alto e depois bateu com ela na barriga. "Como esta esse Tanden? Cheio de energia ("Life energy")?" Como se a resposta fosse nao, ele continuou: "Porem, a tua essencia esta realmente a ser cultivada". Voltou a dizer que "o ‘Andure’ e uma pessoa realmente honesta" – ainda nao percebi onde e que ele quer chegar com essa expressao (verdade seja dita, ainda nao assaltei os cofres do templo, por isso devo ser mesmo honesto – embora a unica razao seja por nao saber onde eles estao!). Disse ainda "Tens que ter fe no teu Verdadeiro Eu ("True self"). O Susokkan (a tecnica de respiracao) nao e apenas uma ferramenta. Ele e a propria fonte onde podes encontrar a fe no teu verdadeiro Eu". Ja nao me lembro muito bem – escrevendo ao som das guitarradas dos D.A.D. custa-me lembrar as palavras exactas do Roshi! =)
      Mas por acaso correu bem este Osesshin. Estava mesmo desanimado antes de ele comecar – "Meu Deus, mais um Osesshin!". Ja tinha dito isto, nao? Mas decidi (ou algo decidiu por mim) voltar ao tal do Susokkan – contar as expiracoes, expirar completamente, morrendo em cada uma delas. E a verdade e que senti o meu Ki (ou Chi, ou energia vital – a segunda parte da conhecida palavra ReiKi) a crescer progressivamente, dia apos dia. Por vezes, sentia-me mesmo cheio e era capaz de varrer os terrenos de Sogenji… 5 vezes seguidas! E faz toda a diferenca ter o Tanden vibrante de energia ou nao. Nos ultimos tempos tinha abandonado o Susokkan e estava mesmo sem energia. Sem esse Ki, a mente facilmente toma conta de mim – a nostalgia, as saudades, os medos pautam a minha vida. Quando estou cheio de Ki, quando respiro (expiro) seriamente, todos esses problemas encolhem drasticamente. Quando penso nos receios em relacao ao futuro profissional, em relacao a I___ ou a A___, ou tantas outras coisas, ate da vontade de rir. COm um Tanden tao grande esses problemas ficam mesmo pequenos.
     Duas coisas tambem me ajudaram a ganhar forca para este Osesshin. Uma foi a demonstracao que o St___ fez do "expirar completamente" e do "cortar". Ele puxou um determinado assunto e eu peguei nisso e comecei a desabafar as minhas dificuldades, os meus medos, as partidas da minha mente. Ele respondeu simplesmente "Entao corta. Comeca agora mesmo. Corta!". La se foi a minha oportunidade para desabafar. Depois mostrou o "expirar completamente" dele. Expirou e expirou. E expirou ainda mais. Com os olhos quase a sair das orbitas, as veias a querer saltar do corpo, expirou mais um pouco ainda. Depois inspirou profundamente e dise "Corta, certo?"
     A outra foi um mail do S___ onde ele me disse que costumava ter problemas com o tedio (principalmente quando foi monge na Tailandia numa ilha quase deserta). Quando percebeu que o tedio e apenas um estado mental, nunca mais sentiu tedio na vida. Tambem costumava ter problemas gravissimos de depressao. Quando percebeu que nada nem ninguem exterior o poderia satisfazer, ficou curado de vez do problema.
     Assim, quando durante o Osesshin sentia a minha mente a cultivar saudades ou carencias ou anseios em relacao ao futuro ou ao que deixei na Tuga, dizia para mim mesmo "E apenas um estado mental (talvez uma melhor traducao para "mental state" seja "estado de espirito")" e expirava profunda e corpolentamente e "cuspia" tudo isso para fora do meu corpo-mente. Cuspi familia, amigos, ex-namoradas, empregos e todo o tipo de lixo que vinha ao de cima no oceano poluido da minha mente. Perdoem-me, mas a unica forma de vos amar verdadeiramente e libertar-vos do fardo de viverem na minha cabeca.
     Fio engracado tambem ver como, na minha cabeca, alguns pensamentos parecem ser mais reais, ou ter mais validade ou razao de ser, que outros. O pensamento "Quem me dera ser rico" e logo desmascarado e cuspido na expiracao seguinte, mas o pensamento "Bolas, este Zazen e mesmo dificil" ou "Nunca hei-de realizar a Mente de Buda" parece bem mais real. Mas com a dica do S___ ("nao passa de um estado mental") rapidamente me apercebi que um pensamento e apenas isso: um pensamento, tenha ou nao uma base material por detras (ou uma aprente razao de ser). Tornou-se mais facil libertar-me dos pensamentos mais "justificados".
     Outra coisa sao os pensamentos emocionais – aqueles que evocam uma reaccao directa no corpo (aquilo que o Eckhart Tolle chama de "corpo de dor"), como a saudade, a tristeza ou a nostalgia. Parecem reais porque o corpo todo vibra com eles – o que nao acontece com o "Quem me dera ser rico", por exemplo. Mas agora, mesmo esses, sao um pouco mais faceis de "cuspir".
     Acho que regressei um pouco a essencia da practica Zen, resumida pelo Hogen Yamahata da seguinte forma: "Respirem apenas".
 
Dre
Published in: on 08/05/2007 at 8:50  Deixe um Comentário