Diarios de Sogenji – IV (11 a 14 de Novembro)

2006, Novembro 11
 
     Hoje fui ao meu primeiro Sanzen. Cheguei a sala do Roshi e, depois da prostracao e da venia, ajoelhei-me em frente dele. Ele disse algo que eu nao percebi. Fiquei a espera da traducao, mas ela nao surgiu. Passado alguns segundos, percebi que ele tinha falado em ingles. Disse-me "Show me your breath". Quando percebi, pensei, "Bolas, estou aqui todo nervoso, a minha respiracao esta uma bosta!" Acalmei-me num segundo, concentrei-me no Tanden e respirei. Passado mais alguns segundos ele comecou a falar, agora claramente em japones. A C___ traduziu: "Open your eyes, your ears, open all your senses to the outside world. That is Zazen". Depois acrescentou algo: "Return to your breath, return to the original breat, that very deep and all-encompassing breath".
     Foi uma experiencia excelente, revigorante e inspiradora. No Sanzen, o Roshi estava muito diferente do habitual. Sob uma luz muito suave (o sol estava ainda a nascer), de olhos semi-cerrados e um sorriso muito subtil, vi um Buda ou um Bodhisattva diante de mim. Grande energia. Excelente.
     Fica so uma questao: a sala bastante escura, o Roshi de olhos fechados e eu com varias camadas de roupa, como conseguiu ele ver a minha respiracao?Talvez estar em frente ao mestre seja como estar frente-a-frente com Deus, o Absoluto.
    
     Estive a trabalhar com o An___. Ele tem a mesma opiniao sobre o J__. Tenho que ter cuidado, porque ele tem problemas a nivel psicologico. Ja me comecei a aperceber de certas coisas e afastei-me.
     Disse tambem uma coisa curiosa: que eu era o melhor "novato"que tinha aparecido em Sogenji nos ultimos tempos. Claro que o meu ego agradece! Mas ele tambem me assustou um pouco. Disse que ha pessoas aqui com um ego gigantesco e que o Roshi nao se preocupa muito com isso. Diz que ele e um excelente mestre, mas um mau gestor de pessoas. Que o treino Zen tem feito mais mal do que bem a muita gente aqui.
 
     Caminhando por entre os mortos procuro a minha propria extincao. Atraves da Grande Morte alcancarei a Vida Eterna. Viver e morrer lentamente; morrer de uma vez por todas e renascer para sempre. Mil campas alinhadas, passos de paz, fonte de liberdade.
 
2006, Novembro 13
 
     Hoje 2 praticantes por pouco nao se envolveram em actos de violencia fisica! Um deles era o J__, o russo "amigo" que tanta gente me tem avisado. Chegaram a encostar as cabecas um ao outro – pareciam 2 jogadores de futebol ressabiados. O J__ disse para o outro: 2Don7t make yourself bigger than you are. You are no one". Sem comentarios!
 
     Hoje no Sanzen o mestre so me dedicou uma frase: "Allow no gaps, no breaks. The life is just this!" Mas foi bom. A presenca do Roshi em Sanzen e extraordinaria e estas palavras fizeram-me lembrar Hogen Yamahata, um dos mais inspiradores de todos os mestres espirituais que conheco.
 
2006, Novembro 14
 
     Amanha comeca o grande combate. Sete dias a dormir 5 horas por noite, a meditar 11 horas por dia e com menos de 2 horas de intervalo entre as actividades agendadas. Deve ser uma correria doida! Mas sinto-me preparado (mais psicologica do que fisicamente), embora saiba que vou defrontar aquilo a que ja chamaram "a besta que nunca dorme": a minha propria mente!
 
 
..Dre
Anúncios
Published in: on 30/11/2006 at 7:16  Deixe um Comentário  

Diarios de Sogenji – III (5 a 10 de Novembro)

 
2006, Novembro 5
 
     Este fim-de-semana (4 e 5) esta a haver uma cerimonia muito importante aqui no templo. Chama-se "Kaisanki", acontece uma vez por ano e agora estamos todos ocupados a servir os convidados. Basicamente, sao bastantes "professores"e mestres Zen a cantar sutras, beber cerveja e sake. So falta mesmo as meninas a dancar no varao!
     Entretanto, soube ha dias que nao foi o Almerindo que se afastou do templo. Foi a "gerencia" de Sogenji que o afastou. Hhhmm… Isto faz-me pensar nalgumas coisas. Se eu ja punha em causa algumas das suas palavras, agora a sua credibilidade desceu bastante. De qualquer forma, isso nao muda muito a minha postura: "bola p’ra frente que o jogo mal comecou."
 
     O frio nocturno penetra como farpas de gelo. No fim da jornada, ate as noites de inverno sao quentes como o sol de verao.
 
2006, Novembro 6
 
     Hoje foi um dia livre. Porem, eu era o "Tenzo helper" (ajudante do chefe de cozinha). Xoida, que stresse, estas refeicoes: tira pratos e tachos, poe tachos e pratos, vai buscar isto, vai buscar aquilo, senta, come, levanta, mais tachos, come outra vez… uff! Que loucura. Ja para nao falar do stresse de ter a comida feita a horas. Quando for eu o Tenzo nem quero imaginar! Lol.
     Ha dias, a falar com o Myo-san, apercebi-me de um aspecto curioso no nosso treino: durante Zazen, Choka e Kaichin (ou seja, quando estamos com roupa de meditacao) nao podemos usar gorros, cachecois ou meias (nem sapatos). Ou seja, aguentar o friozinho que fizer (que promete descer a temperaturas negativas no inverno). Tendo em conta que meditamos de janelas abertas (eu tenho uma mesmo nas minhas costas), completamente imoveis, vai ser engracado!
     Hoje andei pela primeira vez de autocarro. Foi comico tentar perceber o sistema de bilhetes deles e tentar perceber como funcionam as paragens e os destinos. Tudo isso porque peguei numa bicicleta com um pneu furado!
     Amanha comeca o Kosesshin. Vai ser o meu primeiro retiro, embora seja dos mais "softs". Apenas 5 dias com cerca de 5,5H de meditacao. Dia 15 comeca o Osesshin, um osso duro de roer, dizem (7 dias, 10H por dia).
     O mestre deu-nos 5.000 yenes a todos, pela ajuda prestada na cerimonia "Kaisanki". Soube que nem ginjas; nao estava nada a espera. Acabei por dar 2.000 yenes ao Ab___, um americano recem-chegado, mas que tambem ajudou. Ele e bastante porreiro! Basta ter o meu nome! =)
 
2006, Novembro 7
 
     Hoje comecou o Kosesshin. O Zazen da manha foi passado com muitos pensamentos! Tenho que me concentrar mais e ser mais forte que a vontade de viajar no "tapete magico do pensamento".
     Perguntei a C___ sobre como praticar. Ela disse para deixar o meu corpo e a minha respiracao ensinarem-me o caminho. "The Zendo is a laboratory", disse ela.
     Deu-me 3 conselhos: alongar ao maximo as expiracoes, mas sem forcar; nao deixar espaco entre as respiracoes, pois isso leva a mais pensamentos; e para me centrar no Tanden sempre.
     Deu-me tambem uma boa novidade: provavelmente terei Sanzen em breve, ainda antes do Osesshin, talvez.
     O Sz_____, responsavel pelo Zendo, acabou de passar ao meu lado com uma serie de chapeus-de-chuva na mao. Pelo vistos nao temos de ir a chuva do Zendo para o Hondo e vice-versa de manha.
     Tenho tentado nao calcar meias, para enrijar o osso, mas esta a ficar bem frio. De qualquer forma, na meditacao e afins nao vou poder de todo.
 
2006, Novembro 8
 
     Hoje acordei num cubo de gelo chamado "Zendo". Estavam cerca de 3 graus C. Foi estupidamente dolorosa a meditacao da manha – e estou quase a esgotar os meus recursos a nivel de roupa de Inverno. Mas vou ter que os usar a todos; hoje foi brutalmente dificil suportar o frio. Tive que contrair e descontrair os musculos repetidamente, por varias vezes, para tentar aquecer o corpo. Nos intervalos da meditacao vou ter que comecar a beber agua quente. Surpreendentemente, o Roshi ate mandou fechar as janelas. Porem, com as portas todas abertas, a corrente de ar manteve-se.
     Contam-se aqui algumas historias interessantes sobre o mestre. Uma vez, irritado por nao conseguir um "insight"/iluminacao, decidiu nao se deitar mais enquanto nao o conseguisse. Esteve 2 anos sem se deitar (dormia na posicao sentada de meditacao, para conservar a energia). Estragou o corpo, mas conseguiu o seu "insight".
     Uma outra vez, caiu de uma escada de 2 metros e partiu as costas (traducao literal de "broke his back"). Mas como era o primeiro dia de um retiro, sentou-se durante 30 minutos na posicao de meditacao, sem anestesia, antes de ir para o hospital. Dizem que e por causa disso que ele tem um anadar estranho. E eu a pensar que era para o estilo!
     Nessa conversa sobre o Roshi, voltou a falar-se muito bem dele. Dizem que e um dos maiores Roshis desde a guerra (nao sei qual), embora nao meca mais que 1,60m. Lol. Dizem que e um dos "Dalai Lamas" do Zen. Que e um homem "feliz", embora quando se "chateia" seja duro como pedra.
     Quanto ao mestre, todos sao unanimes: subir mais alto nao e possivel; ele e o topo dos topos. Parece que estou no local certo!
     Depois dos 3 graus C. matinais, a temperatura elevou-se aos 15 graus durante o dia. Hip Horay!!
 
2006, Novembro 9
 
     Hoje rapei o cabelo. E aqui rapar e mesmo com gilete. Vamos ver como a minha cabecinha agora totalmente despida vai lidar com as noites e manhas geladas deste outono japones.
 
2006, Novembro 10
 
     Hoje a C___ virou-se para mim ao almoco e disse: "Comecas o Sanzen hoje a noite!" Fiquei super surpreendido, mas muitissimo entusiasmado. Ate o Ab___, sentado a minha frente, mostrou-se muito surpreendido. Varias pessoas me congratularam. Parece que normalmente demora-se mais tempo a conseguir Sanzen. A primeira coisa que o Sh___ disse foi: "Man, who did you blow?!" Ele diz que as portas se estao a abrir para mim mais rapidamente que o habitual. Ah pois e, aqui o tuga nao brinca em servico! =)
     Sao 21H20… Acabaram as 4H de Zazen do fim do dia, quando em Kosesshin. O meu joelho esquerdo esta a dar-me problemas… Hoje tive que me sentar em posicao "cadeira". Alem disso, picado por melgas em pelo menos 4 sitios diferentes. Quando nao e aconselhavel movermo-nos muito, e f#あlx !!
     Alem disso, a minha mente nao da descanso. Continua aos saltos por todos os lados… Vamos ver como progride a minha concentracao com o avancar do tempo.
 
Dre
Published in: on 22/11/2006 at 6:19  Deixe um Comentário  

Diarios de Sogenji – II (29 de Outubro a 3 de Novembro)

 
2006, Outubro 29
 
     E verdade, comecou hoje a minha integracao oficial. Como as pessoas mudaram, depois de acabar o Osesshin. Muito faladoras, apresentaram-se a mim, falaram comigo. Porem, o amigo da Invicta, o Al___ – que vai embora amanha -, continua os seus avisos: "Fecha-te, concentra-te em ti, demonstra que queres praticar, nao entres em socializacoes. Os mais faladores, os mais simpaticos estao apenas a conhecer-te. Depois vao atirar-te tudo a cara. Vao usar tudo isso para atacar o teu ego. Depois vai ser tudo mais dificil. Eu digo isto para te avisar".
     O Al___ continua a apontar o dedo aqueles comquem eu simpatizo mais: o J___ (Russia) e agora um dinamarques (An___).
     O Al___ diz tambem que os monges mais velhos estao apenas a observar-me agora. Quando as informacoes que os mais novos estao a tentar recolher lhes chegarem aos ouvidos, vao-me "fazer a cabeca em agua". Ele diz que o Roshi e o meu unico amigo aqui dentro. Com ele posso abrir-me a 100%. E uma teoria interessante. Vamos ver como se desenvolve.
     Hoje vou fazer o meu primeiro Zazen. Vamos ver como corre. Hoje mudei-me tambem para o Zendo E la que vou dormir. Acabou-se a privacidade, acabou-se o quartinho so para o "Je". Mas acho que e melhor assim. O quarto estava a tornar-se um refugio para mim, e aqui nao preciso de refugios. Tudo tem que vir ao de cima.
     O Al___ diz tambem que o Sanzen e algo de extraordinario. Que encontrarmo-nos assim pessoalmente com o Roshi e como encontrarmo-nos com Deus. Uma energia impressionante.
    
2006, Outubro 30
 
     Hoje foi o ultimo dia do Al___. A partir de agora, e ate 2 de Dezembro, serei o unico portugues em Sogenji. Fiquei sem o meu conselheiro, mas nao sem os seus conselhos. Esses guardei-os bem.
     O zazen comecou em forca. Ainda nao morri – o pior esta ainda por vir -, mas ja tive as minhas dores – bem razoaveis.
 
2006, Outubro 31
 
     Dia das bruxas… Hoje fui a coxear na minha "vassoura" para a cozinha, depos do Zazen da manha.
     Hoje bati no fundo mais negro da minha mente. Dentro de mim explodiram raiva, tristeza, confusao e nao-aceitacao. Para curar isso, passado algum tempo, liguei a I___. A hora tinha mudado – agora sao 9H de diferenca. Depois de 55 minutos e 4500 yenes mais pobre, sentia-me melhor. Es uma grande pessoa, uma grande alma. Obrigado.
 
2006, Novembro 1
 
     Hoje estou melhor – desde que nao pense na I___…
     Estive a trabalhar na cozinha ate ao almoco. Foi stressante, mas no final compensou muito. Trabalhei com a So___. No inicio foi muito bruta e antipatica. Estava a sentir-me bastante triste com isso. Depois comecou a meter-se comigo e a sorrir muito. Foi muito bom. No final deu-me um conselho relativamente aos Sesshins. Obrigado. E que excelente almoco preparamos!
 
2006, Novembro 3
 
     A minha integracao esta a avancar a olhos vistos, posso afirmar, e isso repercute-se na minha pratica. As sessoes de Zazen de ontem a noite e hoje de manha foram muito fortes. O meu Tanden esta a ganhar energia, estou a comecar a senti-lo mais profundamente.
     Falta um mes para o Rohatsu. Se me aplicar bem nos 3 retiros que vao haver antes desse "colosso", e com a ajuda do Sanzen com o Roshi (ainda por confirmar), tenho a sensacao que a iluminacao e possivel. Sinto isso devido a energia criada nos ultimos Zazens e a determinacao adquirida depois de ler a experiencia de iluminacao do Philip Kapleau ("Os Tres Pilares do Zen").
     De qualquer modo, como disse a A___, a iluminacao vira quando tiver que vir… Es um anjo. Obrigado pela tua forca e certeza.
     Ja me apercebi da rotina nos dias normais: levanto-me as 3H40. As 4H temos cerca de uma hora de Choka no Hondo. De seguida corremos para um pequeno altar junto a cozinha para mais 10 minutos de sutras (Itaten). Depois corremos para o Zendo, onde temos 2H de Zazen. Finalizado o Zazen, corremos para a cozinha para o pequeno-almoco (as 7H). Depois de uma refeicao relativamente rapida e altamente ritualizada, com sutras e gasshos a mistura, corro de novo para o Zendo, troco de roupa (tiro as roupas de meditacao e visto as roupas de trabalho) e corro agora para a arrecadacao das ferramentas. Uma vassoura, uma pa e uma especia de gedanha sao os meus companheiros durante cerca de uma hora. Isto e a "limpeza exterior". Seguidamente, rumo de novo ao Zendo para a "limpeza interior". Lavo casas-de-banho, urinois, lavatorio, etc. Terminada esta limpeza no Zendo, rumo de novo para mais trabalho no exterior – este agora dependente do que me for ordenado no momento.
     Utilizei sempre a expressao "correr" porque aqui tudo e feito a ritmo acelerado. Engana-se quem procura aqui paz de espirito e um ambiente sem stresse.
     As 13H e o almoco, depois do qual surge um periodo de descando ("la siesta") que durara ate ao jantar (tipo "self-service") as 17H. Depois tenho Zazen das 18H30 as 20H30. As 21H, regra geral, encerram-se as actividades com o Itaten da noite, no altar junto a cozinha.
     Esta e a minha rotina em dias normais, ou seja, em dias fora dos retiros e sem actividades adicionais.
     Um exemplo de actividade adicional e o Shuya, que e feito depois do cantico das 21H. E uma ronda feita ao mosteiro, por 2 pessoas entoando um cantico, para verificar se as portas estao fechadas e os aparelhos electricos e a gas estao desligados. Fiz esta ronda no dia 1 de Novembro com o An___. Foi giro.
     Enquanto escrevo estas linhas (no Zendo), decorre no Hondo uma cerimonia chamada Bishamon. Preferi ficar por minha conta, mas vejo que perdi algo de interessante. Oico varias vozes a gritar e berrar a plenos pulmoes. Tipicamente japones!
 
Dre
 
Published in: on 13/11/2006 at 3:53  Deixe um Comentário  

Diarios de Sogenji – I (26 a 28 de Outubro)

 
Glossario:
 
Choka – Periodo de cerca de uma hora de leitura de sutras, feito logo pela manha.
Dharma – Ensinamento do Buda. A Verdade Ultima para a qual esses ensinamentos apontam.
Gaitan – Sala secundaria dentro do Zendo, local onde se pode mover o corpo durante a meditacao e optar por posturas de meditacao mais acessiveis a principiantes.
Gassho – Venia feita com as palmas das maos juntas, significando respeito e simbolizando a uniao cosmica.
Hondo – Templo (sala principal) onde se realizam cerimonias especiais e onde recitamos os sutras diariamente.
Itaten (ou Kaichin) – Breve recitacao de sutras, feita de manha (depois do choka) e a noite.
Kaichin – (ver Itaten).
Kinhin – Meditacao em marcha.
Koan – Especie de pergunta ou quebra-cabecas criado para ultrapassar a logica mental ou o raciocino convencional de modo a atingir um nivel de percepcao e compreensao da realidade mais directo e profundo. E outro dos instrumentos base do Zen.
Kosesshin – Retiro de 5 dias (em pouco diferente da rotina habitual).
Maruyama – Bairro ou zona suburbana onde o templo fica especificamente situado.
Okayama – Cidade onde se situa o templo.
Osesshin – Retiro Intensivo de 7 dias.
Rohatsu – O retiro mais intensivo do ano, comemorando o aniversario do Buda.
Roshi – Mestre
Samu – Trabalho.
Sangha – Comunidade (normalmente referente aos praticantes budistas).
Sanzen – "Entrevista" ou encontro com o mestre onde o discipulo recebe orientacao e inspiracao.
Sarei – Cha acompanhado ou nao por um pequeno lanche.
Sesshin – Retiro. Palavra que significa a uniao do coracao e da mente.
Shuya – Ronda feita diariamente pelo templo para conferir se as portas estao fechadas e os aparelhos electricos ou a gas desligados.
Sogenji – Templo onde me encontro.
Susokkan – Tecnica meditativa consistindo na contagem das expiracoes e na concentracao no Tanden.
Sutra – Texto sagrado do Budismo (entre outras religioes asiaticas).
Takuatsu – Mendicidade religiosa.
Tanden – Centro energetico do ser humano, situado 2 dedos abaixo do umbigo.
Teisho – Palestra
Zazen – Meditacao sentada. Base da pratica Zen.
Zen – Escola de Budismo Mahayana, uma especie de fusao entre Budismo e Taoismo.
Zendo – Sala de meditacao e residencia de alguns praticantes.
 
 
2006, Outubro 26
 
     E pronto! A primeira etapa ja esta, pois escrevo estas palavras ja em Sogenji, Okayama – Japao. A viagem para o pais do Sol Nascente correu bem. Deu para dormir algumas horinhas e compensar a directa feita na vespera, bem como para ver Lisboa do alto, ver mares e ocenos de nuvens que tapavam as aguas e as teras la em baixo, e ainda ver um horizonte de fogo ao nascer do sol ja em terras niponicas.
     No aeroporto de Kansai, Osaka, apos uma pequena reuniao no gabinete de imigracao (estava dificil convence-los que vinha para um templo budista), la consegui apanhar o comboio para Okayama, nao sem antes telefonar para Portugal e derramar meio litro em lagrimas, num ataque de medo e inseguranca.
     Ja na minha nova "cidade natal", apanhei um taxi e foi ai que eu reparei que no Japao tambem se conduz pela esquerda, tal como os ingleses, por exemplo. Entrei no templo e, apos alguns minutos de exploracao, cruzei-me com um homem vestido a rigor (estilo monge) e com uns oculos curiosos que me perguntou: "Where are you from?", ao que eu respondi, com a minha bela pronuncia anglo-saxonica, "Portugal". Eis senao quando ele contrapoe: "Bem me parecia que eras tu o portugues". Tinha acabado de conhecer o Al___.
     Numa conversa a dois, perguntou-me se eu sabia no que me estava a meter, que Rinzai (uma das 3 escolas de Budismo Zen) e duro, mas que nao era so isso que havia para saber sobre Sogenji…, e para nao alimentar grande vontade de socializar, que o melhor era pregar os olhos no chao e mostrar vontade de trabalhar e de estar concentrado.
     Descobri tambem, com a natural "alegria" de quem sofre de aracnofobia, que o templo – bem como a cidade em geral – esta cravejado de aranhas coloridas de tamanho razoavel. Parece ser mesmo o local ideal para perder todos os medos!
     A minha chegada parece ter acontecido na pior altura possivel: a meio de um Osesshin (retiro intensivo de 7 dias). A C___ (a pessoa com quem falei via e-mail antes de ir para o Japao) mostrou que nao tinha pensado muito nessa situacao, mas que nao haveria grande problema – ficaria a ajudar na cozinha enquanto o retiro nao acabasse (eu cheguei no antepenultimo dia). Quando fui apresentado a E___, a mexicana encarregue da cozinha nesse dia, a sua opiniao era bem diferente: o melhor era eu desaparecer do mapa durante os proximos 2 dias e meio. "Vai ver a cidade, vai fazer montanhismo (ha uma serra mesmo por detras do templo), enfia-te no teu quarto, mas passa o mais despercebido possivel" – tudo isso para nao afectar a concentracao dos meditadores, concentracao essa que naquela fase do retiro estaria numa fase critica. "Ainda por cima tens cabelo e barba", disse ela com ar assustado. "Vais ter que te barbear, isso e certo".
     Depois foi falar com a C___ que, para espando dela, disse que eu devia pelo menos comer com o resto da Sangha (comunidade). Ela avisou-me que a refeicao e muito complexa, rapida e cheia de rituais. Eu ficaria no canto da mesa, o mais discreto possivel.
     Entretanto fui a cidade de bicicleta – eles tem em Maruyama umas ruas muito sossegadas para peoes e velocipedes – comprar laminas e espuma de barbear. A muito custo, la consegui desbravar a minha selva facial. Falta o cabelo…
     Esta sensacao de ter chegado em ma altura, somada a descricao assustadora que o portugues fez ("isto tem tanto de Ceu como de Inferno"), e somada ainda a tristeza de "abandonar" a familia, amigos e namorada, deixou-me a beira de um ataque de nervos. Vamos ver se tenho a forca psicologica e emocional suficientes para aguentar um regime militarista Zen, principalmente quando tenho o coracao tao fragilizado e sensivel. Admito, apetece-me chorar, por vezes, e comprar ja o bilhete de regresso a casa…
     Apesar de tudo, as pessoas foram simpaticas e nao parece ser um cenario tao mau como o Al___ pintou.
 
2006, Outubro 27
 
     Ja de manhazinha, fui instruido pelo Al___ sobre como proceder na refeicao. Ensinou-me alguns dos truques e deu-me o "kit refeicao" necessario: 3 tigelas enfiadas umas nas outras (tipo Matrioska), um par de pauzinhos "chineses" (e eu a pensar "como e que se come com isto?!"), um guardanapo, um livrinho de sutras (textos sagrados) para recitar na refeicao e um pano para embrulhar isso tudo.
     Alem disso, deu-me um colchao para por debaixo do saco-cama (na primeira noite dormi no chao, por opcao propria). Tem sido uma boa ajuda, este Al___, uma personagem engracada, natural da "Invicta".
     Percebi que o terco e a pulseira que trazia no pulso sao para tirar e o relogio nao o posso ter no pulso nem nas refeicoes, nem no Zazen. Os fios que tenho ao pescoco tambem nao durarao muito tempo.
 
     Doi-me o coracao de cada vez que penso na I___. Tenho evitado olhar para as fotos dela, pois so de as imaginar da-me vontade de chorar… Sinto muito a tua falta. Amo-te… Que faco eu aqui?
 
     Pus todas as fotos que trouxe em exposicao no meu quarto: Avo e Avo A___, pai, mae e irmao, A___ e I___. Ajudam-me a manter a esperanca.
     Acho que ja me habituei as fotos da I___. Ja nao doi tanto o peito ao ver o seu rosto.
 
     O J___ (da Russia) hoje foi uma grande ajuda. Ele e muito simpatico e ajudou-me na minha integracao. A C___ tambem se tem mantido atenta e preocupada.
     Hoje tomei um "cha" com o Roshi (mestre), na companhia de mais 5 "colegas". O cha foi horrivel; a presenca do mestre foi interessante.
 
2006, Outubro 28
 
     Continuo um pouco a parte da comunidade… Como nao pareciam precisar de mim na cozinha, fui explorar as dezenas de trilhos que se escondem por detras do templo, numa serra muito interessante.
     Passei por 1001 aranhas, todas elas coloridas. Embora ontem no meu quarto tenha tido uma aventura com uma aranha – esta mais pequena e "descolorida", gracas a Deus -, creio que comeco a entender-me com elas. Ainda nao segui o conselho do meu amor – "fala com elas" -, mas as coisas parecem estar a encaminhar-se.
     Ontem e hoje assisti aos meus dois primeiros Teisho (palestras do mestre). Sao interessantes, nao so pelo grotesco do ritual e da voz do Roshi, como pelo conteudo espiritual das suas palavras.
     Talvez amanha consiga ir ver o e-mail, creio que temos um dia livre, pois hoje acaba o Osesshin. A partir de amanha espero comecar a minha integracao oficial na comunidade.
 
     Afinal consegui ir ao e-mail hoje. Andei na cidade – foi muito giro, cheia de gente, muitas bicicletas e eu sobre 2 rodas tambem. Mas que dificil encontrar a loja da internet. Mas com japoneses tao prestaveis, como poderia nao chegar ao meu destino? Chegam a acompanhar-me (eles a pe e eu de bicicleta) ao longo de diversos quarteiroes!
 
 ..Dre
 
Published in: on 06/11/2006 at 6:04  Deixe um Comentário